O Trabalho de um Geólogo com Avaliação de Prospectos


Qual é o objetivo final de uma empresa de exploração de petróleo? A resposta é simples: encontrar petróleo. Mas para isso é necessário adquirir novos blocos com um equilíbrio entre o risco geológico e o volumes de hidrocarbonetos.


No Brasil para adquirir novos blocos exploratórios deve-se participar de leilões. Quem organiza esses leilões é a ANP (Agencia Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). E existem dois tipos de leilões atualmente no Brasil: Partilha de Produção (apenas para a área do pré-sal nas bacias de Santos e Campos) e Concessão.


Partilha de produção: O bônus a ser pago por bloco é fixo e o que as operadoras vão ofertar é a porcentagem de óleo excedente vão entregar ao governo (porcentagem após pagar os custos da extração).

Concessão: A ANP estipula o bônus e programa exploratório mínimos. As empresas ofertam valores para estes parâmetros. Os valores ofertados são colocados em uma fórmula e quem tiver a maior pontuação leva o bloco.


Para saber mais informações sobre os tipos de leilões podem acessar esta apresentação.


E onde o geólogo entra nesta parte da avaliação para adquirir novos blocos? Resumidamente o geólogo é o profissional responsável por mapear prospectos, definir seus riscos e calcular o volume de hidrocarbonetos.


Para a definição de um prospecto varias análises devem ser feitas, não necessariamente pelo mesmo profissional. Entretanto ongeólogo deve ter um perfil generalista, ou seja, ter conhecimento geral sobre varias áreas. Deve, também, ser proativo e ter habilidades para trabalhar sobre pressão e em equipe.


A figura abaixo mostra as principais análises que serão brevemente descritas ao longo do texto:


  • Geologia Regional

Compreende a análise da bacia como um todo e do entendimento dos plays e seus elementos petrolíferos. Diversas análises são importantes: caracterização da evolução estratigráfica e estrutural da bacia; análise de campos e reservatórios análogos; análise de poços secos (entender qual elemento petrolífero falhou); distribuição e mapeamento dos elementos petrolíferos.

Para analisar todas essas informações regionais é importante ter conhecimento básico de diversos assuntos da geologia e de GIS para poder disponibilizar todas as informações espacialmente.


Depois de definir os plays presentes, define-se qual (ou quais) serão avaliados para a definição de prospectos. Cada análise a seguir deve ser feita individualmente por play.


  • Interpretação Sísmica

É uma das atividades mais importantes, com a interpretação sísmica vai ser possível definir a localização e a área de cada prospecto permitindo futuramente realizar o calculo de volume de hidrocarboneto.

Nesta fase os geólogos estão diretamente envolvidos e começam com a verificação da qualidade dos dados e correlação com dados de poçose posteriomente a interpretação de superfícies regionais. O último passo seria, dentro de cada play, mapear o topo e base dos prospectos.


Interpretação sísmica e mapa gerado a partir da interpretação para o topo do reservatório. (dados da apresentação técnica da ANP para a Rodada 14)

  • Geoquímica

Serve para verificar a presença e qualidade da rocha geradora e qual tipo de fluido ela deve gerar. Em geral as informações básicas para a análise são interpretações sísmicas regionais, dados de geoquíma de rocha (carbônico orgânico total, reflectância de vitrinita, etc) e análise fluidos de campos e poços análogos.

O geólogo de exploração não necessariamente vai fazer a análise destes dados (normalmente é realizado por geoquímicos), mas deve entender todo o processo de análise para compreender os resultados finais.


A: Dados de cromatografia de hidrocarbonetos. B- Curva de subsidência. C- Dados de geoquímica de rocha

  • Petrofísica:

A petrofísica vai utilizar dados de logs de poços análogos ao play para obter valores de porosidade, saturação de óleo e água, espessura média de reservatório, etc. É importante conhecer os diferentes tipos de logs corridos durante e após a perfuração de um poço e saber qual propriedade cada log mede.

Dentro da análise petrofísica a análise de formação é importante e consiste de resumidamente 3 passos: 1-calculo do volume de folhelho, 2- cálculo da porosidade e 3-calculo da saturação de água. No fim é possível saber quais as espessuras de reservatório, quais suas porosidades médias e se estão preenchidos por hidrocarbonetos ou água de formação.


Exemplo genérico de uma avaliação petrofísica de avaliação de formação

  • Riscos e Probabilidades

Esta parte é sempre a última a ser realizada. Cada empresa tem uma forma própria para fazer este tipo de avaliação e algumas tem softwares próprios, mas os conhecimentos básicos são os mesmos.

Na parte do risco geológico tem que ter um conhecimento avançado do play para dar um valor de chance para ocorrer cada elemento petrolífero dentro do prospecto. No final é gerado um numero que representa a chance do prospecto ser perfurado e encontrar petróleo (em porcentagem).

A probabilidade é utilizada para definir o volume do prospecto, cada elemento utilizado para o calculo de volume é distribuído estatisticamente e quando englobados apresentam uma distribuição de volumes. É necessário ter um conhecimento básico de estatística principalmente relacionado aos tipos de distribuição de dados e quando utilizar cada um (normal e lognormal por exemplo).


Exemplo de incerteza para definir o risco geológico (Peter Rose, 2001. Risk Analysis and Management of Petroleum Exploration Ventures)

Exemplo de fórmula para calcular o volume recuperável de hidrocarboneto

  • Sugestão de leituras técnicas:



  • Sugestão de leituras não tecnicas:

São dois livros sobre como tomamos decisões e como podemos melhorar nossa capacidade de tomar decisões e fazer previsões de forma mais eficiente.




Editado pelo YP: Guilherme Arruda

169 visualizações

©2020 AAPG YP BRASIL

  • Branco Facebook Ícone
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca Ícone Instagram